sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Sonia Namastê dodoi, e Ceci nos dá uma mãozinha.

Obrigada amiga muita luz e paz para ti e tua família. E para o querido autor, Luz sempre.




Um senhor vai a um consultório médico para marcar uma consulta para a sua mulher.

A secretária pergunta:
- Qual o problema de sua esposa?
- Surdez. Não ouve quase nada.
-
Então o senhor vai fazer o seguinte: antes de trazê-la, faça um teste
para facilitar o diagnóstico do médico. Sem que ela o veja, o senhor, a
certa distância, faça uma pergunta a ela, em tom normal, até perceber a
que distância ela consegue ouví-lo. Vá diminuindo a distância aos poucos
caso ela não o ouça, e vá anotando. Quando a trouxer para a consulta,
pode dizer ao médico a que distância ela estava do senhor quando
conseguiu ouví-lo. Certo?
- Está certo.

À noite, quando a mulher preparava o jantar, ele decidiu fazer o teste.
Mediu a distância que estava em relação à mulher e pensou: estou a uns 10 metros de distância; vai ser agora.

- Maria, o que temos para jantar? Silêncio.
Aproxima-se a cerca de 5 metros:
- Maria, o que temos para jantar? Silêncio.

Fica, então, a uma distância de 3 metros:
- Maria, o que temos para jantar? Silêncio.

Por fim, encosta-se às costas da mulher e volta a perguntar:
- Maria! O que temos para jantar?
- É frango, seu surdo! É a quarta vez que eu te respondo!

Normalmente, na vida, pensamos que as deficiências são dos outros, nunca nossas.
Autor Desconhecido

2 comentários:

  1. Sinto, Sonia, por seu desencarne. Deus te abençoe onde estiver. Grande beijo minha querida.

    ResponderExcluir